Presidente da CCJ do Senado diz que disposição de Moro de comparecer é 'louvável'

Notícia
Espaço entre linhas+- ATamanho da letra+- Imprimir


A presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado, a senadora Simone Tebet (MDB-MS) disse que a disposição do ministro da Justiça de prestar esclarecimentos à Casa é "louvável". "Requer realmente um esclarecimento por parte do ministro da Justiça e acho louvável o fato dele ter tomado iniciativa de ter se colocado à disposição para vir independentemente de saber se o requerimento ia ser votado ou não", disse ela à reportagem.

Mais cedo, o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), repassou aos colegas um comunicado em que Moro se compromete a ir ao Senado e que foi lido pelo presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP). A audiência de Moro foi agendada para a quarta-feira da semana que vem, dia 19, às 9 horas.

Questionada se essa disposição era um sinal de que o ministro estaria em busca de apoio do Senado para superar a crise, Tebet disse que acha que não. "Eu estive com ele de manhã e ficou muito claro que ele está muito tranquilo e que ele quer esclarecer os fatos", afirmou.

A senadora afirmou que vai seguir o regimento da Casa para audiência com Moro e que não pretende fazer um acordo com os membros para a dinâmica do dia. Ela disse que não teme uma arena de embate. "Não na minha presidência e com os senadores com o calibre que nós temos no Senado Federal", disse.

Notícia



Ministro suspende decisões que impediam julgamento de cartel de trens pelo Cade

O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro João Otávio de Noronha, acolheu pedido do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), órgão antitruste do governo federal, para suspender os efeitos de duas decisões do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1) que haviam suspendido a apresentação de alegações finais no processo administrativo que investiga o cartel de trens - suposto conluio de empresas em licitações de metrôs e trens nos Estados de Rio Grande do Sul, Minas e São Paulo e no Distrito Federal...